Maternidade e Família

Vida a dois: o que muda no casamento depois dos filhos?

Eram quase 23h, sentamos os dois no sofá e nos olhamos por algum tempo. Imaginei o que estaria passando pela cabeça daquele homem que há algum tempo eu dividia a vida. Muita coisa tinha mudado, desde a época que nos conhecemos. Olhando ele assim, me peguei pensando o que estaríamos fazendo naquele momento se não tívessemos o dia que tivemos.

Desde a chegada da nossa filha mais velha, passamos por muitas coisas que jamais pensaríamos passar. Teve momentos que acreditarmos que o amor havia acabado, outros que julgamos de fato que estávamos vivendo com um estranho e aqueles momentos que até chegamos a nos perguntar onde foi que nos perdemos.

Na verdade tínhamos toda razão. Já não éramos mais os mesmos. E o fato do nosso casamento nunca mais ser o mesmo não é necessariamente uma coisa ruim. De fato, a vida é outra agora.

Antes, éramos só nós dois. Não haviam fraldas sujas, noites intermináveis, choro daqui, colo dali. Não havíamos que começar a nos arrumar 2 horas antes de sair, nem que voltar várias vezes em casa porque esquecemos alguma coisa.

O cansaço não estava tão acumulado, não brigávamos porque um pegou  o copo errado e isso desencadeou uma acesso de choro da caçula. Não havia rotina do sono que duram 4 horas.

Sem dúvida nossa relacionamento era diferente. Mas assim como tanta coisa em nossas vidas, nosso relacionamento jamais voltará a ser como era antes. E nem nós!

Sempre vemos tantos casais com um certo pesar sobre isso, mas faz parte da evolução, assim como morar junto jamais será igual namorar. Cada fase tem seus encantos e desencantos. Bate a saudade, eu sei, a única coisa que não podemos é criar uma expectativa de que um dia as coisas voltarão a ser como antes e deixarmos de viver esse presente, que pode ser exaustivo no começo, mas nos faz ver no outro um novo companheiro(a).

E o puerpério?

Se eu tivesse a possibilidade de dar um conselho seria esse: prepare-se para o puerpério. E não sozinha, envolva seu companheiro(a), pai, mãe, vó, tia, irmã, rede de apoio.

De tudo que vivemos na gestação, nada se compara com o momento de irmos pra casa com o filho. De começarmos uma rotina, uma nova vida. Percebo, e foi assim comigo, que este momento é muito delicado e é onde vemos muitos casais acharam que não devem continuar juntos (pesquisas também comprovam isso).

É a fase de adapatção de uma vida totalmente nova e é totalmente imprevisível, nossos hormônios em uma montanha russa, privação do sono, muitos sentimentos novos de uma só vez. É preciso que se entenda o que acontece para que se prepare para isso, todo mundo.

O companheiro, muitas vezes, é o que precisa ter os pés no chão para segurar as pontas, para compreender e principalmente para acolher. E ah, a boa notícia é que passa!

Maternidade/Paternidade: um caminho sem volta

Um filho é uma mudança de vida, de paradigmas, é um caminho de auto-conhecimento sem volta. E quando entramos na estrada, quem está do nosso lado também vive suas experiências pessoais que reflete na vida do casal.

Enfrentamos desafios e são neles que reconhecemos que nosso companheirismo se fortalece. Na hora da fraqueza, da dúvida e do sufoco, é que fortalecemos os laços, cultivamos a empatia. A admiração aumenta, traz qualidades que podem ter passadas despercebidas. E o amor? Vemos que ele pode ser muito mais do que imaginamos.

É nesse momento que reconhecemos, descobrimos e lembramos o porquê de estarmos juntos. Uma hora, não muito longe, as crianças crescem, logo estaremos nós dois com mais tempo novamente. Olharemos para traz e veremos que “de tanto não parar a gente chegou lá, do outro lado da montanha onde tudo começou” e que voltamos mais fortes, mais unidos e mais certos das nossas escolhas.

Veja também

2 Comentários

  • Reply
    monica
    2 de agosto de 2016 at 03:19

    Amei seu blog para querida quanto capricho e as materias sao realmente incrivel anotei quase todas na minha agenda!!
    Sou mae de primeira viagem por acaso vc n teria um,grupo no wtsap para eu aprender mais um pouco rsrsrsrs

    • Reply
      Bárbara Vitoriano
      7 de agosto de 2016 at 00:55

      Oi Monica, muito obrigada por sua mensagem!! 🙂 Por enquanto ainda não temos um grupo no Whats sobre o assunto, mas quando tiver, eu com certeza te aviso!! Beijos

    Deixe um comentário