Vida e Cotidiano

O que são listas de tarefas por contexto?

Mesmo que você não queira aplicar o método GTD por inteiro (se não sabe do que estou falando, leia o post em que explico o método aqui), só o fato de você dividir sua lista de tarefas por contexto você já daria um salto enorme em sua produtividade.

Explico: o David Allen, o criador do método GTD, considera contexto, o lugar ou situação em que você está para realizar aquelas tarefas. Ou seja, você vai agrupar suas coisas a fazer por local ou condição que você está para realizá-las.

Por exemplo, você agrupa as coisas que precisa comprar na lista Supermercado, as contas a pagar na lista Banco Online e as tarefas que demandam mais concentração na lista Concentrada no Computador. Assim, quando você estiver em qualquer um desses contextos, basta você acessar sua lista e já ir fazendo as coisas que estão por ali. Você cria os contextos de acordo com suas necessidades.

Claro que, dentro do método, existem um processo antes de você inserir uma tarefa dentro das suas listas por contexto, mas mesmo que você não utilize nenhum método, só o fato de fazer essa divisão te daria mais clareza e aumentaria sua produtividade.

Entretanto, se você está estudando ou começando a aplicar o método GTD, queria dividir com você três coisas que fizeram total diferença pra mim:

1- Esclarecer bem a tarefa: antes de uma tarefa ir parar em uma dessas listas de contexto, a gente precisa pensar e esclarecer bem ela. Ela será ou uma ação isolada que você precisa fazer ou uma ação que faz parte de um projeto, ou seja, um passo que precisa dar para chegar em algum objetivo maior. Por isso, precisamos escrevê-la de maneira clara e objetiva, para que, quando estivermos lá no nosso dia a dia executando essas tarefas, a gente entenda o porquê de estarmos fazendo aquilo sem gastar tempo. É como se estivesse conversando com você mesma no futuro sobre algo que tem que fazer. Por exemplo, se eu tenho que ligar para alguém e informar algo já deixo todas essas informações bem explícitas: Ligar para Fulano e avisar da reunião no dia 05 às 8h que será no Café X.

2- Contexto não é só lugar: demorei muito para entender que contexto não diz respeito somente a lugar, mas também e principalmente à condição na qual está inserido. Por exemplo, eu posso até estar no computador, mas nem sempre consigo fazer tudo que preciso fazer neste contexto. Algumas ações me demandam mais concentração que outras, por isso, eu separo essas tarefas em contextos diferentes, sendo assim, quando estou trabalhando sozinha, sem as meninas e posso me concentrar é nessa lista que busco as coisas que preciso resolver, diferente de quando elas estão em casa e preciso dividir minha atenção, aí busco a lista com ações mais simples e automáticas para executar.

3- Adaptando seus contextos: e uma última coisa que me ajudou demais, foi passar a adaptar meus contextos de acordo com as minhas necessidades do momento. Ou seja, criar e apagar contextos para ser mais objetiva e facilitar a execução. Então por exemplo, se eu tenho algo para comprar em um determinado supermercado, ao invés de eu misturar tudo na lista Supermercado, eu crio uma nova lista com o nome daquele lugar específico que preciso comprar. Isso me ajuda não só a fazer o que tenho que fazer, como também a me organizar para ir até aquele lugar. E a cada semana, quando eu vou fazendo a revisão semanal, crio e apago os contextos necessários. Como uso o Todoist, essa criação é bem simples e prática.

E não esqueça de levar sempre em consideração às suas necessidades, o seu estilo de vida e adapte a ela para que o método realmente seja eficaz para você!

Veja também

Sem Comentários

Deixe um comentário