Para conhecer

O ano em que disse sim de Shonda Rhimes

O que acontece quando a gente decide sair da zona e encarar nossos medos, nossas dores, mudar o que é necessário. Que resultados práticos teremos na nossa vida?

O livro O ano em que disse sim da Shonda Rhimes fala justamente sobre isso, a autora conta sua experiência pessoal de um ano em que ela resolveu dizer sim para tudo que normalmente dizia não (por diversos motivos) e em cada capítulo ela retrata um sim diferente, como foi e os resultados daquilo em sua vida.

Para quem não conhece, a Shonda é uma roteirista, cineasta e produtora de televisão norte-americana e criadora da produtora ShondaLand. Ela quem escreveu um dos seriados mais famosos da TV americana, o Grey’s Anatomy que enquanto escrevo este texto, foi renovado para a 17° temporada. Além dele, ela também é criadora de outros seriados de sucesso, programas de TV e poderia ficar o texto todo falando do trabalho dela que é demais.

Ela também é mãe, de três meninas que cria “sozinha”. E quando ela fala da maternidade, e de como o ano do sim mudou a relação dela com as filhas, aí me conquistou de vez. Shonda conta como “dá conta de tudo” de uma maneira honesta e autêntica. Fala de uma maternidade possível e real e como é possível ser mãe e uma das mulheres mais poderosas dos EUA.

E para quem está pensando que dizer “sim” para tudo pode não ser uma boa ideia, tem um capítulo só sobre dizer sim para o não. Talvez o segundo capítulo que mais mexeu comigo, porque sim, eu tenho uma enorme dificuldade de dizer não, mesmo sabendo o quanto isso pode ser respeitoso com você e os outros, lindo e libertador.

Outra parte interessante é que a maioria dos “nãos” que ela dizia, eram por um medo infundado de errar, de parecer ridícula, ou até muitas vezes por não se achar merecedora daquilo ou boa o suficiente. E quantas vezes também dissemos não pelos mesmos motivos? A gente se vê em diversas situações no livro e melhor, vemos que é possível tomar decisões melhores.

E claro que ela também dedica um espaço para falar sobre seu processo criativo de escrita e que acaba sendo uma grande lição para qualquer pessoa que queira escrever. Ela conta que, se você se dedica a isso todos os dias vai ficando mais fácil com o tempo. É como se tivesse que percorrer sempre um caminho e no outro dia, não precisa recomeçar, mas continuar de onde parou. Mas se você não se dedica, não cria esse hábito, quando vai escrever de novo é como se tivesse que recomeçar, do começo mesmo, e percorrer todo o caminho de novo.

A leitura é fluida, gostosa, como uma conversa. O texto é empático, deixa a gente com uma massagem boa no coração ao perceber que é possível fazer pequenas mudanças, enfrentar situações e vencer o medo, e que tudo isso causa sim mudanças significativas em nossas vidas.

E tem vídeo:

Compre O ano em que disse sim na Amazon!

Veja também

Sem Comentários

Deixe um comentário