Vida e Cotidiano

Dia 06 – Respeitando as pausas do caminho

Há algum tempo eu parei de tomar pílula. O porquê disso é um assunto bem extenso que quero abordar com bastante cuidado e carinho em um outro post. Mas estou contando isso, porque estamos no meio do desafio, e mesmo com uma baita cólica estou eu aqui chegando ao 6° dia.

E hoje foi um dia totalmente diferente. Acabei de postar no Instagram que aproveitei o frio e que as meninas inventaram altas brincadeiras aqui hoje e ficaram na paz quase o dia todo para arrumar umas coisas que eu estava adiando há tempo, mas como eu estava com muita vontade de fazer, fiz em pouquíssimo tempo.

E porque estou te contando tudo isso? Por que essas duas coisas têm uma ligação e tem também uma ligação com um assunto que está vindo sempre à tona esses dias, e que de certa forma, é meio que tema central desse desafio: agir.

Desde que parei o remédio, e voltei a menstruar normalmente que tive que conhecer um pouco mais meu ciclo e aproveitar melhor cada parte dele. Tenho um tempo que fico muito ativa, querendo pensar e fazer mil coisas, querendo sair, e etc. Tem uma época que fico muito distraída, meio dispersa. E tem uma outra época que eu fico bem reclusa, calada, querendo organizar as coisas, e é um ótimo período para criar, mas não para executar.

E aí no começo eu brigava muito com isso, porque eu queria ser a mesma Bárbara o tempo todo, mas não conseguia ser. Ficava maluca porque tinha uma sensação horrível de estar perdendo tempo. Depois de muito sofrer eu vi que o caminho era fazer as pazes, me conhecer melhor e tentar tirar o melhor proveito de cada fase.

Então eu tento usar o que tenho nas mãos da melhor forma possível.

Como hoje, que desatei a arrumar armários. E se fosse antes estaria me martirizando por não estar usando esse tempo para trabalhar, matar as listas de tarefas.

Ainda não fez a conexão né?

Pois bem, tenho falado muito aqui de ação, de fazer, de colocar em prática. Só que muitas vezes, o colocar em prática pode não ser necessariamente andar para frente, pode ser uma pausa, uma pausa necessária. O único problema é a gente confundir pausa com desculpas.

No mais, vou parafrasear a J. K. Rowling:

“Não vale a pena mergulhar nos sonhos e esquecer de viver.”

Na busca por qualquer objetivo, às vezes é preciso parar, reencontrar o equilíbrio, respirar, ou simplesmente viver! Se o vento não está favorável, a gente tem que ajustar as velas.

Apareci aqui hoje, estou andando no desafio, cumprindo minha parte, mas pensar nisso, me deixou tão mais tranquila e em paz com os erros, as falhas, e as pausas do caminho.

 

Veja também

1 Comentário

  • Reply
    Dia 07 - Efeitos duradouros derivam de ações constantes e graduais - Bárbara Vitoriano
    4 de setembro de 2017 at 14:21

    […] eu tornei isso público, (como contei no post anterior, que você pode ler aqui), porque tornar público é uma forma da gente se comprometer mais com uma […]

  • Deixe um comentário