Vida e Cotidiano

Dia 05: Três coisas que aprendi com esse desafio

21 dias! É o tempo que leva para a maioria de nós instaurar um novo hábito simples. Esse número pode variar de pessoa para pessoa e também para mais dias se o hábito for mais complexo, podendo chegar a 66 dias.

Um hábito é aquilo que fazemos de maneira usual, frequente, ou como eu gosto de dizer, quase sem sentir. Bons hábitos são capazes de fazer verdadeiros milagres em nossas vidas.

Se você se interessa por esse assunto, te indico o livro O Poder do Hábito, ainda não terminei, mas até onde li, ele é sensacional na forma de explicar porque os hábitos são tão importantes na nossa vida, e como fazemos para mudá-los a torná-los a nosso favor e a favor dos nossos objetivos.

Mas, de um modo bem simplório, já vou te adiantar que é preciso sim um esforço no início, para começar, para manter até chegarmos ao hábito propriamente dito e ainda tem mais esforço para mantê-lo.

É acredito que o problema é justamente esse.

Criar um novo hábito, muitas vezes sair da nossa zona de conforto, fazer um esforço, trabalhar como diz minha psicóloga.

E aí, muitos de nós, como bons sabotadores que somos começamos as desculpas e talvez a mais famosa delas é o: não tenho tempo.

De fato ninguém tem tempo. Não há um só ser humano nesse mundo que tenha mais tempo do que qualquer outra. O que temos de diferente é nossa forma de se relacionar com ele.

Quando comecei esse desafio, eu pensei: nossa no que fui me enfiar? Como vou dar conta de sentar e escrever todos os dias? Já tenho tanta coisa para fazer! Então comecei a escrever nos horários e locais mais malucos se não dava para ser sentada na mesa trabalhando e abri mão de alguma coisa, e olha que nem era uma coisa tão importante assim. Ficamos muito mais tempo navegando aleatoriamente no Facebook, pode acreditar.

Mas aí eu fiz uma coisa que me motivou a continuar e que funcionou para mim: tornei público meu compromisso.

Para quem não sabe, o comprometimento público é uma velha técnica de produtividade para enfrentar a procrastinação e focar no que deve ser feito.

E aí eu entrei em um ciclo! Preciso escrever porque meu objetivo é que ele se torne um hábito, para isso precisei priorizar essa atividade no dia, ia tudo bem, mas corria o grande risco de desanimar no terceiro dia, entretanto ao tornar público (o que pra mim fez sentido aqui) ajudei no meu comprometimento, e aqui estamos nós!

Além disso, depois do início do desafio, consegui escrever mais posts sobre outros assuntos, a ter mais ideias de pautas, assim como retomei minha pesquisa e estudo sobre o mercado editorial.

Li que esses desafios podem ser grandes divisores de água em nossas vidas. Que podem marcar mudanças significativas em nosso comportamento.

E como eu ando dizendo, mesmo se nada der certo, aprendi que:

1-  Os hábitos têm uma força que nem imaginamos

2- Falta de tempo é a desculpa mais ridícula que podemos dar a nós mesmos.

3- Precisamos encontrar os gatilhos certos que funcionam pra nós. Nesse caso, foi tornar o desafio público.

Acho que tá valendo a pena!

Veja também

Sem Comentários

Deixe um comentário