Categoria

Dicas e Inspirações

Dicas e Inspirações

Descobertas e Favoritos de Agosto/2017

Setembro chegou! Mês lindo do aniversário da Isadora e junto com ele a estreia dos posts de favoritos e descobertas do mês anterior. Aquele post só amor, com indicações de filmes, livros, séries, músicas/bandas/cantores, produtos, blogs e sites bacanas, e etc de mais bacana que vi, ouvi, li ou comprei (ou fiquei com vontade) reunidos e resumidos num post único.

Músicas

Rain (The Script) – The Script é uma banda de rock alternativo de Dublin, Irlanda. Conheci esta música na rádio e adoro o toque dela, a versão acústica é linda e é uma daqueles músicas que deixa o nosso dia mais feliz.

Era uma vez (Kell Smith) – A letra é linda e faz a gente morrer de saudade da infância. A Kell Smith ficou conhecida pelo hit “Respeita as mina”, não sabe do que estou falando? Clique aqui pra ver! 

Promete (Ana Vilela) – Se você tem filho e ainda não ouviu a nova música da Ana Vilela, precisa ouvir. Muita poesia, amor e saudade nessa canção.

Amanheceu (Scalene) – Scalene é uma banda brasileira de rock formada em Brasília no ano de 2009. A banda participou da segunda temporada do reality show musical Superstar, da Rede Globo, onde terminou como vice-campeã. Essa música é quase como uma oração, lindíssima, fico só pensando no dia em que minhas filhas forem voar longe de mim.

Pra você dar o nome (Ana Gabriela) – já ouvi outras músicas dessa menina que tem a voz linda, mas essa faz massagem no coração. Conheça o canal aqui!

Livros 

Tanta coisa aconteceu no final de julho começo de agosto, que não tenho certeza de que tudo que vou indicar aqui veio mesmo de agosto, mas acho que valem as dicas mesmo assim.

O ano em que disse sim da Shonda Rhimes: esse virou livro de cabeceira, super inspirador. Escrito pela Shonda Rhimes, criadora de Grey’s Anatomy e outras séries famosas, ela fala sobre um ano em que resolveu sair da zona de conforto. Tem resenha do livro O ano em que disse sim aqui no blog!

Quem sabe um dia: quem acompanha aqui sabe o quanto sou apaixonada por Gilmore Girls, e esse mês li o primeiro livro da Lauren Graham, a atriz que interpreta Lorelai Gilmore. Em breve tem resenha, mas para quem curte, já tem a do segundo livro dela que se chama Falando o mais rápido que posso!

Equilibrosa: recebi esse livro da Mônica Calderano e é uma delícia de ler. Histórias curtas e leves sobre a maternidade. Em breve terá resenha também.

Filmes e Séries

Punho de Ferro: na verdade a gente já tinha começado a ver há algum tempo, mas acabamos só terminando agora porque estávamos loucos para ver Defensores e precisávamos entender a história. Ele e o Luke Cage foram dois seriados que demorei um pouquinho para gostar, mas no final ficava quase doida para acabar.

Defensores: valeu a pena a espera. Ri demais com os diálogos dessa série, principalmente com a Jessica Jones que estava demais. Mas já vou avisando, as referências para as séries individuais de cada um são muitas e você só vai entender se assistir antes.

Série Divergente: vimos os três filmes da série esse mês, em sequência e gostamos muito. Lembrou bastante Jogos Vorazes, fiquei de pesquisar se as autoras têm alguma ligação ou algo do tipo. Então, se você gosta de ficção vai gostar com certeza.

Blogs, canais e etc

Isaac Horta em Apartamento: pensa em uma pessoa que nunca conseguiu prosseguir com uma horta, essa pessoa sou eu, mas estou pegando muitas dicas com esse rapaz e olha, parece que agora vai! Então se o assunto te interessa, conheça aqui a página do Isaac.

Como vocês sabem, o último mês foi de reajuste da rotina, colocando a vida de volta nos trilhos, então as indicações desse mês serão estas! Próximo mês espero ter mais coisa boa para contar para vocês!

Dicas e Inspirações

Organizando a rotina com a técnica Time Blocking

Esses dias assisti alguns vídeos sobre a técnica (ou conceito) do time blocking. Na verdade, desde que saí do meu emprego formal que eu comecei a trabalhar melhor meus blocos de tempo (para conseguir trabalhar, estar com elas e fazer minha parte das tarefas na casa, fazer minhas coisas), de uma forma bem genérica. Eu só não sabia que existia uma técnica que mostrava justamente como isso pode ser mais produtivo.

Para começar, vamos entender que o time blocking é uma estratégia de gestão de tempo que consiste em bloquear horários específicos na sua agenda para garantir que você realize atividades de forma mais otimizada. É bom lembrar que o time blocking não é usado apenas para a vida profissional, mas para a vida como um todo. Afinal, seu dia é único e sua vida também. Obter o equilíbrio é a chave, muitas vezes difícil de encontrar.

Ao dedicar um certo número de horas a apenas uma tarefa, você “bloqueia” seu tempo (e sua mente) de outros projetos – e a infinidade de outras demandas em sua atenção.

Em um primeiro momento pode parecer que é simplesmente inserir tarefas ou compromissos na agenda e colocar um horário para realizá-las, mas a verdade é que é preciso um tempo para incorporar o hábito na vida e de fato colher os frutos da ferramenta. Sabemos que não é tão simples assim a gente ter a disciplina de manter o foco sobre uma determinada atividade. Por isso, para implementar o time blocking, você pode seguir os passos a seguir.

Como implementar o time blocking

  1. Em primeiro lugar liste suas atividades rotineiras, aquelas que você precisa fazer com frequência, seja no trabalho ou na vida.
  2. Relacione seus projetos em andamento, aqueles que precisa e/ou quer fazer.
  3. Crie uma lista única começando pelo o que é essencial, sendo atividades de rotina ou não e aqui falamos da vida como um todo.
  4. Agora vai montando seu cronograma travando blocos de tempo em sua agenda nessa ordem. Seja consciente do que realmente é necessário e possível de ser realizado na prática.
  5. Use cores para chamar sua atenção. Uma ideia é usar cores diferentes para blocos que sejam de áreas da vida diferentes, assim consegue ter uma visão melhor do equilíbrio dessa divisão na prática.

Alguns blocos de tempo serão temporários, apenas para executar um projeto que tem um término, por exemplo. Para estes estipule prazos. E claro, use o tempo bloqueado por 30 dias para te ajudar a incorporar o hábito e vá fazendo ajustes. Você pode chegar a conclusão de que precisa mover um bloco ou que precisa de mais ou menos tempo para uma determinada atividade.

Esta técnica me lembrou muito a Técnica Pomodoro, aliás, podemos considerar que sim, o Pomodoro é uma técnica “time blocking”, porque nela há o congelamento de tempo para focar em uma determinada atividade. Mas para mim, a principal diferença é que o Pomodoro é algo muito mais pontual e objetivo. Ou seja, você bloqueia o tempo para ter foco e terminar uma tarefa, já o time blocking funcionaria no espaço macro, ou seja, você bloqueia o tempo para focar em projetos ou atividades do seu dia a dia.

O Time Blocking na prática

Vamos para um exemplo prático para ficar mais fácil entender? Eu por exemplo, tenho alguns blocos de tempo com atividade rotineiras com as nossas filhas. Aí tenho o tempo que eu dedico ao meu trabalho. Dentro desse bloco eu bloqueio um tempo para fazer as atividades-chaves do meu trabalho que é a produção de conteúdo, seja posts, para as redes sociais ou de um curso em alguns dias da semana. Porque que faço isso? Para ter comigo mesma o compromisso de fazer o que de fato faz os projetos existirem. Depois desse bloco ou nos outros dias, eu trabalho nas tarefas com prazos e nas listas de tarefas, seguindo a lógica do GTD.

Vamos criar uma rotina fictícia para exemplificar:

6h30h-7h30: rotina da manhã e escola das crianças. 

8h- 11h20: rotina de trabalho pela manhã

8h-10h: segundas, quartas e sextas, bloco para trabalhar a escrita de um livro

11h30-13h30: volta da escola, almoço e etc

19h-21h: rotina da noite com as crianças 

21h-22h30: rotina de trabalho noturna

Mas aí você deve estar se perguntando, e as outras horas do dia? As outras horas do dia você trabalha de acordo com sua rotina e suas necessidades. Reparou que o time blocking deve e precisa ser respeitado levando em conta suas prioridades e possibilidades reais. Por isso não adianta bloquear todo o seu dia se não vai conseguir cumprir. Comece devagar, com disciplina e comprometimento e verá os resultados na sua vida.

E os imprevistos? Eles acontecem e muito, ainda mais quando se tem criança, por isso, que na minha opinião pessoal, você deve bloquear o tempo com muita sabedoria para realmente executar coisas essenciais, realizar seus projetos com mais consciência e equilíbrio.

 

Dicas e Inspirações

Madero apresenta novo cardápio com opções mais leves, saudáveis e inclusivas

Ontem fomos conhecer e degustar o novo cardápio que o Madero lançou com opções mais leves, saudáveis e inclusivas, ampliando as opções para vegetarianos (não restritos, pois nas opções contêm queijo) e para quem apresenta restrições alimentares como intolerância à lactose, glúten ou ovos.

No ano passado, quando inaugurou o Madero aqui na cidade, lembro de já ter um visto um menu com muitas opções para quem prefere algo mais leve, que é o que eles chamam de linha FIT, com pratos preparados com trigo integral, grãos, sementes e creme de palmito.

Os novos pratos trazem opções ainda mais  inclusivas nutritivas e saudáveis com menos sódio e carboidrato e algumas dessas opções contaram com a assinatura de Pati Bianco (@frufruta), blogueira e influenciadora digital que tem como causa disseminar a cozinha saudável e proporcionar a inclusão de pessoas com restrições alimentares. A Pati é alérgica ao leite e a ovos e sempre encontrou dificuldades em comer fora de casa, por isso criou o blog Fru-Fruta compartilhando suas receitas.

Novos pratos

Salada Madero FIT- alface, rúcula, molho pesto sem lactose, parmesão, tomate cereja, quinoa, creme de palmito, amêndoas e peito de frango grelhado. Assinada pela Pati Bianco.

Salada Veggie – alface, rúcula, creme de balsâmico, grão de bico, azeitona preta, tomate cereja, amêndoas e queijo coalho grelhado. Também assinada pela Pati Bianco.

Carpaccio de filé mignon – voltou ao cardápio, vem com rúcula, alcaparras e queijo parmesão acompanha pão crocante (quentinho, uma delícia).

Penne com molho do Chef – teve uma mudança com a troca do Fettuccine pelo Penne Italiano com quatro opções de molho.

Sandwich de queijo coalho, rúcula, tomate seco e maionese artesanal – também voltou ao cardápio e é o meu preferido. Simplesmente sensacional o sabor.

Petit Gâteau de Doce de Leite – foi nossa escolha de sobremesa, vem com sorvete artesanal de vanilla e calda de frutas vermelhas.

Dicas e Inspirações

[Mãe blogueira] 7 maneiras de perder a timidez na hora de gravar vídeos para seu blog

Você já entendeu que os vídeos são uma ótima maneira de se comunicar com seu público. Já sabe que, através deles, você ganha tempo, as pessoas se identificam mais rapidamente com sua mensagem e você agrega valor. Sabe que os números sobre os vídeos só crescem, mas na hora que vai gravar, trava. Não sai nada, a timidez é maior e você acaba desistindo!

Calma, acredite que muitas pessoas passam por isso, é normal, principalmente quando é algo novo! Quando eu pego os vídeos antigos dou muita risada, primeiro pelo jeito de falar, depois pela iluminação que era muito ruim e por último pelas edições. De lá pra cá algumas coisas melhoraram, a gente vai aprendendo e principalmente pegando gosto. De tenso vai ficando divertido gravar e, consequentemente, os vídeos melhores.

Se quer gravar vídeos e a timidez anda atrapalhando aqui estão sete maneiras de perder essa timidez:

1- Grave sozinha: gravar sozinha, somente com a câmera pode ajudar a timidez a ir embora. A gente se sente mais à vontade e ajuda muito quem está começando. Até hoje eu prefiro gravar sozinha, acho que as ideias fluem melhor, mas ter alguém para trabalhar foco e iluminação também pode ser bacana, pelo menos no começo.

2- Entenda o assunto: muitas vezes a timidez vem da falta de controle ou conhecimento do que se vai falar. Quando não nos sentimos confortáveis com o assunto, também não nos sentiremos confortáveis na câmera, por isso, na hora de gravar vídeos, escolha assuntos que domine, ou se for uma experiência pessoal, reveja toda a experiência antes de começar. Se for criar um canal, procure sempre falar de assuntos (ou pelo menos começar) que você é apaixonada, não sabe o quanto isso facilita as coisas.

3- Faça um roteiro: mesmo que o vídeo seja a respeito de algo que viveu, uma experiência pessoal, é muito importante que faça um breve roteiro antes, com pelo menos os pontos que serão explorados. Isso passa segurança e deixa o vídeo mais leve de ser feito e a timidez costuma ficar em segundo plano.

4- Seja você: quando vamos começar a gravar vídeos, é comum a gente começar a ver muitos vídeos de vários canais. E claro, sempre vamos nos inspirar, pegar ideias legais, mas nunca deveremos querer imitar ou passar uma imagem que não corresponde com a real. Querer seguir uma linha que não tem nada a ver com a gente é a maneira mais fácil de travar na produção de um vídeo.

5- Avalie seu trabalho: gravou um vídeo? Assista! Muita gente não gosta de se ver no vídeo, confesso que não sou fã, mas essa é a única maneira de avaliarmos o nosso trabalho. Anote as coisas que quer melhorar e mudar e mãos à obra.

6- Saiba lidar com as críticas: está aí um dos maiores motivos que muitas pessoas não querem gravar vídeos, as críticas. Saiba que você receberá muitos elogios, mas não receber críticas é bem difícil. Algumas pessoas serão mais ácidas e isso é super normal, não ache que é só com você. Portanto, pegue as críticas, veja o que pode tirar de bom delas e siga em frente.

7- E o principal, não desista: a gente se acostuma, pela gosto pela coisa, mas só se fizermos, talvez repetidas vezes, até entender como funciona. Por isso, não dá pra gravar um vídeo e dizer que não tem jeito pra coisa, é preciso mais, é preciso treino, é assim com a maioria das coisas que a gente faz na vida!

Agora, uma coisa acho muito importante falar: gravar vídeos é difícil, não é fácil e demanda, tempo e estudo. Se você não gosta de jeito nenhum, não acredito que seja uma boa você forçar. Mas se for só a timidez, então vai lá, pegue o que você tem e dê um passo de cada vez!

E como fazer com as crianças? 

Procuro gravar na maioria das vezes quando as crianças não estão em casa quando o vídeo é sério, para os cursos, palestras ou assuntos mais complexos. Quando os vídeos são mais tranquilos, elas participam e me ajudam muito. No segundo caso, é mais tranquilo, porque não precisa de tanta concentração e se for interrompida não há problema.

Dicas e Inspirações

Otimize seu tempo de trabalho com a técnica pomodoro

Diz aí, difícil se concentrar em uma tarefa quando a gente vê aquele “numerozinho” do Facebook pulando no navegador? Aí você para, vai lá dar uma olhadinha e quando vê já perdeu 30, 40 minutos do seu dia de trabalho e já está quase na hora de pegar as crianças.

Por essas e outras, eu comecei a fazer uso da Técnica Pomodoro. Um pequeno tomate fica me “olhando” no canto direito do meu navegador. Fica vermelho quando eu estou em atividade e verde quando posso dar minhas espiadas em outras coisas. Quando cada tempo acaba, ele avisa com uma janela pop up (olha que lindão, nem preciso ficar vigiando ele mudar de cor). Se você não entendeu nada, vou explicar direitinho como funciona:

Breve histórico

Trata-se de um método de gerenciamento de tempo desenvolvido por Francesco Cirillo, no final dos anos 80, que divide o período de trabalho em períodos de 25 minutos chamados “pomodoro”.

Esse cara se baseou na ideia de que pausas frequentes podem aumentar a agilidade mental, e assim, fornecer uma resposta eficaz a um estado provocador de ansiedade chamado de temporal “becoming” nos trabalhos de Henri Bergson e Eugene Minkowski.

Como funciona

A técnica é muito simples, fácil de implementar e consiste em 5 passos:
1. Escolha a tarefa a ser executada;
2. Ajuste o pomodoro (alarme) para 25 minutos;
3. Trabalhe na tarefa até que o alarme toque; registrar com um “x”;
4. Faça uma pausa curta (3 a 5 minutos, aí você pode bater aquele papo ou olhar as notificações do Facebook, o que acha?);
5. A cada quatro “pomodoros” faça uma pausa mais longa (15-30 minutos, aqui você aproveita pra ir ao banheiro, tomar aquele café e dar uma esticada), ou seja, a cada duas horas de trabalho.

Aplicativos

Existem diversos aplicativos para iPhone, Android, Windows e Mac que facilitam a nossa vida, avisando quando podemos parar e até com espaço para montarmos uma lista de atividades.

Melhorias e métricas

É importante anotar as atividades executadas e quantos pomodoros foram gastos para realizar cada uma delas, assim, ao final do dia, você pode fazer uma avaliação das dificuldades e facilidades e trabalhar em cima das atividades que possui mais dificuldade.

Lembre-se também que a técnica não deve ser utilizada apenas para acelerar o desenvolvimento de determinada tarefa, mas principalmente como uma forma de você focar mais no trabalho, evitando distrações e possuir um maior controle sobre o seu tempo, identificando pontos fracos e aumentando a produtividade. Por isso, é tão importante realizar as anotações.

Interrupções

Não é fácil ter disciplina e fazer as pausas nos momentos certos, diversas vezes vão surgir ideias ou vai se lembrar de algum problema que havia esquecido. Mas não interrompa o pomodoro. Uma boa dica é fazer uma lista paralela com essas coisas para não esquecer.

Dicas e Inspirações

3 coisas fundamentais para qualquer sistema de organização dar certo

epois do momento que eu percebi que precisava me organizar melhor ou minha vida era virar um grande caos (leia-se aqui depois que fui mãe) comecei a consumir muito conteúdo sobre o assunto. Pesquisei muitos métodos de organização, lia blogs, livros e testava cada um deles na prática.

Não passava muito tempo, a vida ficava o caos de novo, eu eu demorava mais tempo organizando meu sistema de organização do que, de fato, fazendo as coisas. E eu sempre culpava o método e ia pra outro. Até que achei o método que uso hoje, que se chama GTD. Depois de alguns anos e várias vezes achar que ele não funcionava pra mim, percebi que tem algumas coisas básicas que temos que ter em mente para a coisa dar certo, seja qual for nosso método ou método nenhum, se a gente preferir e vou dividir elas aqui com vocês hoje.

Confiar no sistema

Quando eu comecei a usar o GTD comecei com um caderno. Eu sempre gostei de papel, de escrever, parece que as coisas ficam mais palpáveis. Só que eu morria de medo de perder esse caderno, e aí coisas que eu tinha medo de perder ou esquecer eu colocava em outros lugares. Resultado? Eu não confiava no sistema que eu criei e, ou deixava as coisas em outros lugares ou  ficava com aquilo na cabeça.

Dessa forma nunca iria funcionar, porque um dos motivos para eu buscar ajuda na organização era tranquilizar a mente e poder focar naquilo que eu estivesse fazendo no momento.

Percebi que pra mim, o que funciona é colocar essas informações na internet, sendo assim eu poderia acessar de qualquer lugar e ainda ter a tranquilidade de não perder nada.

organizacao-pessoal-erros

Revisar

Aí você monta seu sistema (agenda, lista) demora muito tempo coletando suas necessidades e informações, processando e organizando. Mas chega no meio da semana você já está perdida, totalmente. Perdi a conta de quantas vezes eu fiz isso. Eu achava, e até hoje reluto contra isso, que o tempo que a gente “gasta” revisando nossas tarefas, atividades e compromissos é um precioso tempo perdido, quando na verdade esse ato é um dos grandes responsáveis por qualquer método funcionar.

Olhar o que foi feito, quais as prioridades que mudaram, planejar as ações, para no dia a dia executar é o maior investimento de tempo que fazemos. Tem até estudos que mostram que o tempo de planejamento gera uma economia três vezes maior na hora da execução.

Adaptar 

Métodos foram criados para facilitar nossas vidas. Eles nos mostram determinados caminhos que já foram percorridos por outras pessoas, permitindo com que a gente se preocupe mais em fazer as coisas do que testando maneiras de organizá-las. Mas são feitas por pessoas e para pessoas e somos seres únicos.

Talvez um do meus maiores erros era esse, tentar seguir um passo a passo pronto, cegamente, sem adaptá-lo para minha vida e realidade. Acontece que eu me frustrava e ficava ansiosa, ao invés de ficar bem e tranquila.

Há muitos métodos, mapas, planos e passo a passo por aí e com certeza você vai se identificar mais com algum deles, mas não esqueça que são apenas guias e que você precisa adequá-los à você.

 

Dicas e Inspirações Maternidade e Família

Como fazer tinta caseira (e comestível)

Fazer atividades com tinta é muito gostoso! Além de estimular a imaginação, coordenação motora, criatividade, por exemplo, é uma atividade muito divertida e livre, eles ficam ali deixando a imaginação mandar, se divertindo, se lambuzando, sem alguém dizendo o que devem fazer, acho que por isso eu gosto tanto.

E mais divertido ainda quando a tinta é feita em casa, sem ter problemas, caso a criança leve a mão na boca. Como eu tenho uma pequena aqui ainda, fazer a tinta é uma opção boa para o bolso e mais segura que as tintas industrializadas.

Veja a receita e o passo a passo de como fazer tinta caseira, é bem fácil e rápido:

Tinta de Neve

1 xícara de farinha de trigo
1 xícara de sal
1 xícara de água

Misture tudo, e acrescente gotas de corante alimentício. Aqui eu fiz em três cores, mas depois misturei os corantes e saíram mais algumas.

Eu optei por essa receita, porque é rapidinha, e não corria o risco da Isadora ficar comendo, porque mesmo ela sendo comestível, não tem um gosto muito bom.

como fazer tinta caseira- isadora

 

Mas futucando na net descobri outras opções:

Tinta de Gelatina

pó para gelatina
água

Coloque uma quantidade pequena de água e vá acrescentando o pó da gelatina até obter a consistência de tinta. Essa tinta, além de boa para brincar, é gostosa de se lambuzar.

Tinta de Farinha

farinha de trigo
água
corante alimentício

Misture 1 xícara de farinha e 3 xícaras de água em uma panela e deixe ferver até que a mistura esteja no ponto de tinta. Acrescente o corante e deixe esfriar. Ela mantém a textura depois de seca.

Tinta Caseira de Maizena

amido de milho (maizena)
água

Em uma xícara com água bem quente, coloque 4 colheres de amido de milho, três colheres de água e mexa bem. Quando a mistura esfriar, acrescente corante para alimentos e coloque na geladeira.

Dicas e Inspirações

5 blogs sobre diversos assuntos que estou lendo atualmente

Quem gosta de ler blogs sempre tem aqueles que a gente acompanha mais assiduamente, ou porque a gente se identifica com o blogueiro ou porque o assunto nos interessa muito naquele momento.

Pode acontecer de daí um tempo parar de acompanhar um determinado blog, porque os interesses da gente também muda, voltar ou descobrir um blog novo, por isso, a lista de blogs nunca é definitiva e muda de tempos em tempos. Atualmente estou acompanhando blogs que falam de maternidade, organização e produtividade, conteúdo, empreendedorismo e vegetarianismo. Compartilho uma listinha com alguns deles aqui com vocês:

Vida Organizada: este blog acompanho já há algum tempo e recomendo pra todo mudo que quer saber mais sobre organização e produtividade pessoal, principalmente os métodos GTD e FlyLady.

Viver de blog: gosto muito do jeito que o Henrique fala sobre conteúdo para todas as redes de uma forma muito intuitiva.

Papa Capim: este blog eu lia muito há algum tempo e voltei agora depois que finalmente consegui retirar a carne do cardápio. Além de receitas e dicas muito bacanas, ela compartilha a experiência pessoais e isso aproxima os leitores.

Projeto de Mãe: já acompanhava o blog da Ananda há algum tempo, daí ano passado, a gente se conheceu pessoalmente e agora fiquei mais assídua por lá. Ela fala sobre maternidade e outros assuntos no melhor estilo de blog de maternidade antigos e adoro isso.

Projeto Draft: tá, tudo bem, não é um blog, mas queria deixar o Projeto Draft aqui, porque gosto de acompanhar e me inspirar em outras histórias. Até saiu uma matéria comigo sobre o Empreender Materno lá, se não viu, clique aqui para ver.

Sugestões de blogs novos?? Estou sempre aceitando 😉

Dicas e Inspirações

Iluminação para vídeos simples, fácil e eficiente

Quando comecei a gravar vídeos para a internet tinha dois problemas: a regulagem da câmera e a iluminação. E na segunda empaquei por muito tempo. Precisava de uma iluminação simples, barata, fácil de fazer, eficiente e que ainda pudesse carregar e foi assim que descobrimos o ring light e produzimos um. Pra nós resolveu muito bem, mostro tudinho no vídeo!!

Materiais para fazer o ring light:

Círculo de mdf (o nosso tem 50 cm de diâmetro)

Fica de Led (usamos a branca com 5 metros de diâmetro)

Lacres simples

Tripé

Dicas e Inspirações

Você não para de ter ideias novas? Saiba o que fazer com todas elas!

Ideia é um bicho estranho né? É só você sentar na frente do computador, abrir seu editor de texto que parece que elas somem de uma forma que você nunca viu.

Aí, basta você entrar no banho, estar dirigindo ouvindo alguma música no rádio ou até mesmo na cadeira do dentista, é incrível como elas pipocam na tua cabeça.

A ciência já explicou: quando estamos relaxados, distraídos ou fazendo alguma atividade prazerosa pra nós, é quando nossa mente faz as ligações necessárias para surgirem os famosos insights.

Seja porque estamos aumentando o fluxo de dopamina ou porque a distração dá ao nosso cérebro uma folguinha deixando o inconsciente trabalhar de maneira mais criativa. Quando a gente força a mente a achar uma solução, nem sempre ele consegue fazer essa ligação, porque estamos focados em resolver o problema, tensos e sobrecarregados.

Então, existem várias maneiras de você não deixar essas ideias escaparem. Claro que, anotar é sempre a maneira mais eficaz (seja onde for, e aí é legal ter um aplicativo no celular que abra rápido e possibilite armazenar notas com segurança), mas depois de muitas vezes eu perder o fio da meada da ideia de um post, de um texto, de um vídeo e não conseguir mais recuperar nada, começar a formar toda a estrutura dela na mente e falar “quando eu chegar em casa vou anotar” e quando eu chegava em casa, cadê que eu lembrava o que foi que havia pensado? Isso acontece com muita frequência, então, me rendi ao gravador de voz no celular, assim eu coloco ele para gravar no porta-treco no carro, consigo gravar na rua, por exemplo e até mesmo numa sala de espera e consigo salvar as ideias, naquele momento que não conseguiria anotar.

E daí desse exercício já saíram posts, ideias de projetos, soluções, vídeos, já saiu muita coisa pelo simples fato de você não esperar a cabeça esfriar para desmembrar o projeto. Apesar dessa dica de anotar as ideias quando surgem ser uma dica que todo mundo dá, porque nossa mente nos engana muito, se você não colocar em prática você vai perder muita ideia pelo caminho.

É uma coisa que você realmente precisa fazer! Esse exercício também traz um outro benefício, além de não perder suas ideias, que é o exercício de esvaziar sua mente, um dos princípios do método GTD que é o método que eu utilizo, estudo e que se encaixa perfeitamente na minha vida para o que eu precisava que é o de ter a mente clara como a água.

Quando a gente não está pensando nas trocentas coisas que temos que fazer todos os dias, a gente também trabalha de uma maneira mais eficaz, ficamos mais sensíveis à criatividade. Quando você passa a anotar tudo, mas tudo mesmo que vem à sua mente e depois processa aquela ideia, seja qual for o seu método de organização, você passa a ter mais liberdade para pensar para criar, a mente não fica toda hora voltando naquelas coisas que a gente precisa fazer, resolver, pensar e tudo mais.

Mais uma coisa, não esqueça de processar esses arquivos com uma certa frequência, às vezes vamos anotando ou gravando vai acumulando ali, em papéis na bolsa ou áudios no celular, não vai adiantar além de você correr o risco de perder de novo. O ideal é que você tire pelo menos alguns minutos por dia para ir processando toda essa coleta de ideias, áudios textos e etc.

Claro que algumas delas serão apenas a ponta de algo muito maior que ainda precisará ser desenvolvido e justamente  por isso, não demore muito para trabalhar em cima delas. Outras irão para a gaveta, são ótimas ideias, mas não para o momento atual. E ainda há aquelas que irão para o lixo, que serão descartadas mesmo.

Ter ideias é ótimo, sempre, mas mais importante que isso, é saber o que fazer com elas.